domingo, 17 de junho de 2012

PARÁBOLA DO GRÃO DE MOSTARDA


Pesquisa: E. Mollo


Propôs-lhes outra parábola, dizendo: "O Reino dos Céus é semelhante a um grão de mostarda que um homem tomou e semeou no seu campo. Embora seja a menor de todas as sementes, quando cresce é a maior das hortaliças e torna-se árvore, a tal ponto que as aves do céu se abrigam nos seus ramos".
Mateus 13:31-32
semelhante em Marcos 4:30-32 e Lucas 13:18-19
 
  

O desenvolvimento do progresso nos indivíduos obedece à educação de que o fazem, ou de que ele próprio se faz objeto.

A educação do homem corresponde ao cultivo das plantas. Quanto mais esmerado seja este cultivo, mais louçãs aquelas se desenvolverão e mais abundantes frutos produzirão.

Quanto melhor educado seja o homem - e isto é de senso comum - tanto mais rapidamente ascenderá na escala da perfeição.

Tarefa santa é a que o indivíduo empreenda para bem educar-se. A todos os que se preocupam com o próprio adiantamento se acha confiada esta tarefa. Porém, é preciso que ela se execute com método e o método também não se pode impor, nem sequer aconselhar-se. Cada um deve procurar formá-lo, pois o indivíduo, na tarefa da auto-educação, deve empenhar-se por nada querer de empréstimo, por dever tudo a si próprio, porque só então seu aperfeiçoamento poderá ser considerado obra sua, como precisam ser todas as aquisições efetivas do Espírito.

Angel Aguarod
no livro "Grandes e Pequenos Problemas"

A parábola do grão de mostarda mostra a valorização do fenômeno do crescimento espiritual para merecer o "Reino do Céu". Ao lançar a semente da boa palavra e da vocação em seu coração, o homem inicia a sua transformação íntima, cultivando o seu campo espiritual. Cultivando as primícias do bem e do amor, semelhantes a uma pequenina semente de mostarda que é depositada em seu coração, o Espírito do homem encarnado se eleva no campo das virtudes santificantes, passando a merecer que "as aves do Céu", ou seja, os Espíritos do Senhor sejam atraídos pelas suas novas qualidades interiores, ajudando-o, assim, a galgar melhor a escalada do progresso espiritual, aproximando-
se cada vez mais do Criador. 

Trecho extraído do livro
Curso de Aprendizes do Evangelho da FEESP


Curiosidade
 

No Oriente, há uma espécie de mostardeira que chega a dar uma árvore de alguns metros de altura, oferecendo guarida às aves, como diz a parábola de Jesus.

Esta planta é conhecida como cevada, e era muito comum na Palestina por ser um lugar quente, seu ambiente preferido. Seu plantio era feito próximo ao lago Tiberíades e ao longo do rio Jordão, atinge as dimensões de uma árvore de 3 a 4 metros de altura e torna-se lenhosa em sua base. Pintassilgos, sobretudo, que parecem muitos gulosos dos grãos de cevada, vêm em bandos pousar sobre os ramos dessa árvore e comer os seus grãos (os árabes a conhecem como: árvore de cevada).


Artigo reproduzido com a autorização do autor